quinta-feira, abril 23, 2009

O Rio Assoreado da Internet



A febre do Twitter finalmente está batendo no Brasil. Agora é extremamente demodé perder seu tempo postando em bloggs comuns. O grande lance é se ater aos 160 caracteres máximos permitidos e ter milhares de "seguidores" de seus recadinhos. Mais um instrumento de socialização virtual (mais fantástico ainda para o marketing viral e como fonte de informação superficial e instantânea para o jornalismo) que se propaga tal qual um vírus incontrolável. E, mais uma vez, tenho a sensação de que quanto mais conteúdo você tem disponível ao clique de um mouse, menos gente quer perder seu tempo se aprofundando nesta mesma busca pelo conteúdo. As pessoas têm menos a dizer em seus espaços virtuais. Portanto, veio alguém e disponibilizou um site onde você não precisa se aprofundar em nada com seus "textos". Por isso que este blogg aqui onde escrevo pode estar "fora de linha" daqui uns dois anos, no máximo - já o está para os hipsters de plantão, é bom salientar.

Coisa parecida rola com a forma de buscar música na internet. Foi decretado recentemente que programas como E-mule e Soulseek estão "out". A onda de uns tempos pra cá são os bloggs de downloads. Realmente é mais fácil você clicar no link, baixar o disco e pronto, ao invés de esperar o dono de tal disco se conectar ou depender do humor de vários usuários ao mesmo tempo. Mas em bloggs não dá para baixar vários discos de uma vez (se forem hospedados em servidores diferentes, rola). Tudo bem, ao menos você economiza seu tempo de pesquisa sem perder longos minutos lendo texto, pois raramente estes bloggs disponibilizam mais informações sobre o que você está baixando do que tags ao fim de cada post. Pois é: "economiza seu tempo de pesquisa". Uma das coisas mais fantásticas da internet é a sua teia ("web") de informações interconectadas, onde você vai pesquisando e encontrado novos conteúdos infinitamente. Mas estão querendo "facilitar sua vida" oferecendo menos obstáculos para que uma informação específica esteja diretamente ao seu alcance. A tendência é estes programas tipo Emule caírem em desuso. Eu mesmo não estou conseguindo mais encontrar tanto som obscuro no Soulseek como antes.


Meu programa preferido para downloads está com os dias contatos?

No caso específico da música, dissemina-se nestes bloggs a novidade/hype quase sempre, salvo os óbvios clássicos já manjados. É muito difícil encontrar o que era alternativo datado de pelo menos 10 anos pra trás. E li recentemente que - pasmem! - a taxa de downloads de música na Europa e nos EUA caiu pela primeira vez na história em 2008. O que aumentou foram os streamings - leia-se: rádios virtuais e adjacentes, onde ninguém salva nada no computador. São canais que "pesquisam" para você, encurtando novamente seu tempo perdido com isso sem ter de ocupar seu HD com músicas que você esquecerá após 30 segundos de audição. Parece que quanto maior o conteúdo disponível na internet, mais segmentados estão se tornando os canais mais acessados. Estão criando um mainstream no único meio de comunicação de massa verdadeiramente bilateral (multilateral, eu diria) que o ser humano possui e as pessoas nem estão percebendo isso. A conseqüência disto é que as massas parecem consumir informação com mais superficialidade do que em outros tempos, ainda mais se levarmos em conta a relação proporcional ao conteúdo disponível.

Entenda-se como mainstream o universo unilateral onde a cultura de massas se desenvolveu na era pré-internet. O que as massas consumiam era decidido por grandes corporações que determinavam o que era exibido em rádios, televisão, cinema, etc, financiando um sistema viciado em fórmulas pré-estabelecidas, e excludente em relação ao que fugisse do lugar-comum. A internet, teoricamente, veio para acabar com este sistema, vide a falência da indústria fonográfica dominante de outrora. Agora você escolhe o que vai ver e ouvir. As tais gravadoras falidas tentam coibir isso com processos judiciais e taxando os internautas como criminosos. Burras. Nem se dão conta de que estão fortalecendo os criadores destas mesmas ferramentas de distribuição e escolha de conteúdo pela internet que tanto combatem. Mudam os meios, mas as práticas parecem ser as mesmas. Por conta disso, gerações atuais consomem mais volume de conteúdo que antes, porém com maior segmentação. E nem se dão conta de que estão sendo induzidas a freqüentar determinados caminhos pré-estabelecidos, deixando de lado todo o potencial de informação que a internet lhes propicia.

Espertos são aqueles que ganham dinheiro criando estas ferramentas virtuais. Isto toma proporções mais heróicas ao nos darmos conta de que tais ferramentas são de utilização gratuita. Sábios são aqueles que se beneficiam diretamente com estas mesmas ferramentas sem utilizá-las de forma tão somente para a auto-promoção junto aos seus 175.888 "amigos virtuais". Entendo sim como benefício a ampla gama de conseguir conteúdo na web, baixar músicas específicas de forma mais facilitada, de poder usar as citadas ferramentas gratuitas para o uso profissional e de relacionamento saudável com as pessoas. Ingênuos talvez sejam aqueles que já cresceram tendo a internet em casa como algo tão banal quanto uma TV Globo na sua sala, e que expõem sem critério algum suas vidas em perfis virtuais, baixam muita música somente de determinados canais segmentados e que pouco ou nada fazem para ampliar o conhecimento sobre o mundo em que vivem além de uns cliques no wikipedia. Parece que temos um Rio Amazonas de informação com incontáveis afluentes abastecendo o seu percurso a partir da tela do computador. Porém, cada vez mais gente prefere - ou nem sabe como fazer diferente - nadar neste mesmo rio gigantesco com a água na canela, usufruindo apenas de uma profundidade rasa e assoreada, lotada de bancos de areia surgindo como atalhos para não cansar muito de bater os braços e as pernas.

15 comentários:

bonnna, generval v. disse...

kalunga e quem mais quiser ser meu miguxo de msn: gvbonna@gmail.com

obs: eu quase nunca puxo conversa. é coisa rara, meu msn existe para passar/receber recado ou comentar algo brevemente.

----
e Depeche Mode 12/10 no feriadão e no Rio. teremos mesmo este presentão de dia das crianças? será que as fontes do Lucio Ribeiro são seguras? entro todo dia na página de tour do DM pra checar se as datas estão lá.

bonnna, generval v. disse...

andei reouvindo cds de mp3 e achei algo que a muito não rolava aqui em casa, o projeto goth/dark do Burton C. Bell do Fear Factory. o album completo q saiu posteriormente eu não cheguei a curtir, achei que as regravações estragaram inclusive. mas o EP vale muito apena:

http://www.badongo.com/file/2540825

video bacana deles:
http://www.youtube.com/watch?v=ZeEr8Y8ho80

Fabio Martins - Kalunga disse...

Fala Bonna!!!

o Ascension of The Watchers eu fui conhecer somente a partir dos álbuns "inteiros", até pq eu recebo o mailing da Thirteen Planet, que é a gravadora deles (e que é de propriedade de Al Jourgensen). Mas este EP eu não conhecia e estou baixando agora! De qualquer forma, eu curto muito este som do Burton C. Bell: é tipo um som pesado com influência de darkwave e ethereal (ainda mais por seus vocais limpos) mas de uma forma totalmente diferente de tudo o que já ouvi.

Vale à pena vc ouvir também o Pink Anvil, que é o projeto do Paul Barker que ele montou após sair do Ministry. Um negócio muito diferente aquilo, realmente parece uma trilha de um filme de terror ambientado no Helloween, e sem cair nos clichês de sons pra assustar criancinhas. Totalmente "cinemático" o som, surpreendente mesmo. Só vou ficar te devendo o link pq baixei via soulseek, o mesmo que parece estar correndo risco de extinção, rsrsrsrs

Fabio Martins - Kalunga disse...

Depeche Mode dia 12 de outubro, em pleno feriado e ainda por cima no Rio??? Olha, tomara que isto não se transforme em mais um boato da vinda da banda por aqui. Mas essa tour (ou um ou dois shows apenas) do DM no Brasil já foi especulada na dita mídia "séria" (revistas e jornais impressos e não somente em bloggs) e acredito que vá rolar mesmo. Este show eu não perco de maneira alguma! Em outras ocasiões eu perdi (NIN pra mim é digno de me jogar da 3ª Ponte), mas realmente não tinha condiçõe$ de ir, ao passo que hoje tá tranquilasso neste quesito. Vou ficar de olho no site deles, pq assim que confirmar eu já mando bala nas passagens, até pq tem muita promoção se vc comprar por antecipação (se bem que de busão tbm rola de ir pro Rio e são 8 horas, nem é tanta chibata assim)

***

Tá add, miguxo, hahahaha!!!

doggma disse...

Belo tópico, Kalunga. Concordo com tudo e só faço um rápido adendo: está acontendo uma abertura digital muito veloz e o público de internet está se banalizando no processo. Não duvido que a malta que fazia a festa na época do Napster esteja agora em menor número (mesmo por que, as prioridades vão mudando, sacumé).

Em contrapartida, a característica mais marcante da informática/internet é seu aspecto didático e civilizador. As pessoas vão aprendendo mais e se refinando, querendo ou não. É cruzar os dedos e esperar boas evoluções dessa nova geração de internautas, muito embora ferramentas limitantes/alienantes como o Twitter não ajudem nem um pouco.

Cara... nunca fui muito com o Soulseek. Há anos só uso o DC++. É tanta diversidade de conteúdo e tantos hubs e users que não dá nem pra começar a mensurar. Com o DC++ e o Google, tô coberto em todas as bases.

E respondendo à pergunta, fui ao BHRIF de 94 sim. Showzaços: Os Cabeloduro, Swamp Terrorists (tremeu a terra), Concreteness, Jesus Junkie Freud, Loop B (insano) e Virna Lisi. Mas o campeão mesmo, fodafodafodabagarae, foi o Fugazi. Puta que pariu! Fiquei tão alucinado que 2 anos depois fui de novo, dessa vez no Camburi Clube.

doggma disse...

Ah... tu viu que a Virgin tá fechando de vez? Só restam mais seis lojas da megastore nos EUA. Estão liquidando tudo e baixando as portas.

http://news.cnet.com/8301-1023_3-10197700-93.html

É o fim de uma era...

Chantinon disse...

O comentário do Doggma diminuiu meu trabalho de digitar :D

Cara... Olha, sou um cara bem comum. Trabalho, contas, tentativas de sexo, som e as vezes diversão. Para que era adolescente "comum" dos anos 90. Que cresceu ganhando a vida com tecnologia e usa internet antes de pessoas "comuns" saberem o que é web... Olha, tá foda!

Parece que o mundo inteiro tá comendo merda (rasgar dinheiro ninguém rasga não). Eu fico de cabelo em pé toda vez que recebo um convite para Twitter. Tenho vontade de aceitar e mandar uma mensagem: "vai tomar no c..."

Fudeu cara! As pessoas pararam de pensar de vez.
Meu pai que era cheio das teorias de conspirações, iria pirar nos dias atuais.

Essa tal de inclusão social/sexual/racial vem criando um universo que não me parece melhor que nosso passado, pelo contrário.

Acho que uma coisa legal que o MP3 trouxe inicialmente foi que as bandas/músicos começaram a ter que trabalhar mais e rodar o mundo fazendo shows. O numero de show hoje é absurdamente alto, mas a qualidade do material cada dia pior.

Isso de banalização fode tudo. Como tudo é barato ou de graça, passa a ser descartável. Tudo vai para o lixo.

Heheheh! Eu não devia ter assistido "Into the Wild" :)

Para completar vou assistir hoje "Gummo"... Ainda bem que eu não tenho metralhadoras :)

Fabio Martins - Kalunga disse...

Fala Doggma!!

olha, meu grande incômodo com o atual mundo interconectado, para resumir meu post, é que essa geração atual tem todas as ferramentas possíveis para ampliar seu conhecimento e também para turbinar a carreira profissional, além de poder se tornar realmente independente em diversas outras tarefas. Mas quem chega agora com tudo isso em mãos parece estar seguindo as mesmas regras de outrora e sendo manipulado, e não está se dando conta disso.

Ontem eu li na Folha On line que o Twitter tem registrado baixíssimos níveis de fidelidade, com uma média de 40% dos que se inscrevem permanecendo por mais de 1 mês no negócio. Ao que tudo indica, as pessoas se inscrevem por impulso mas logo a seguir abandonam a tal ferramenta por não acrescentar muita coisa além do que míseros 140 caracteres e chatos piscando para você "seguí-los" ("agora estou no supermercado comprando ovos orgânicos", "estou aqui em casa, com uma tremenda de uma dor de barriga" - mensagens assim realmente não devem fazer as pessoas se animarem por muito tempo com o Twitter).

Mas, como eu disse no post, tais ferramentas podem ser muito úteis para quem quer de fato se dar bem com elas. Se você tem um evento, por exemplo, e quer criar burburinho sobre ele, vai postando recados em doses homeopáticas sobre ele diariamente, as pessoas vão ficando curiosas ao ponto de a expectativa se tornar insuportável e gerar um hype de proporções grandes. A internet permite que você fure o antigo bloqueio da mída tradicional ao lhe dar independência e igualdade diante de qualquer um. Isto tem gerado fenômenos absurdos tipo aquela Mari Moon, que postava todo dia uma foto sua com cabelos vermelhos no fotolog sem nada pra dizer de fato e que acabou virando VJ da MTV. O mesmo parece que está rolando com uma menina na Argentina, uma gordinha estilo riot girl de 17 anos que, acredite, vai lançar um livro contando suas "experiências" ("meus pais não gostam que eu pinte meu cabelo de azul") e até pode virar filme. E pensar que Jerry Seinfield já fazia a "comédia sobre o nada" antes da internet existir como mídia de massas... O que será que ele pensaria sobre ests "nadas" de hoje, que não têm nada a dizer e apenas tudo a mostrar?

Mas se estes mesmos "nadas" conseguem se dar bem, outros mais providos de conteúdo intelectual também podem.

***

Rapaz, confesso: NUNCA ouvi falar deste DC++. Vou instalar isso no meu computador logo!!! O Soulseek é muito bom para DJs, pois todos ali trocam muita informação e faixas exclusivas de singles e tal. Mas pelo Google realmente vc acha bloggs diversos que postam os links diretos para vc baixar sem ter de esperar alguém ficar online ou liberar o som pra vc. Mas o conteúdo de bloggs de downloads é pre-selecionado, e quem sobrevive só deles pode estar ignorando a possibilidade de pesquisa para novas descobertas.

Mas, pra facilitar a vida de todo mundo, eis aqui um blogg que fez o mais chato: listou centenas de outros bloggs de downloads separados por gêneros musicais. God Save The Web!!!

http://music-favourites.blogspot.com/

***

O BHRIF eu não fui de bobeira, assim como o show de Ramones e Sepultura em BH no mesmo ano. Ô inveja, hehehehe... Mas eu estive naquela massa enlouquecida do show do Fugazi no Camburi Clube. Antológico foi pouco! Também, do lado de casa, se eu não fosse...

Fabio Martins - Kalunga disse...

Pois é, as megastores que restaram também estão fechando... lembro de um amigo meu que foi a Londres três anos atrás e levou um susto ao ver quase todas as lojas de discos extintas. Eu ainda compro alguma coisa, mas realmente restringi ao que não acho para download de jeito algum ou bandas que realmente sou fã de verdade. O desapego à mídia física, confesso, me pegou inevitavelmente.

Fabio Martins - Kalunga disse...

Chantinon,

realmente as ferramentas atuais permitem o maior acesso à informação, assim como à sua propagação. É fato que uma banda ruinzinha pode mobilizar o hype em torno de si tão somente pelo trabalho massivo de divulgação utilizando-se de todas as ferramentas possíveis. E eu não canso de me decepcionar com sons aí que tinham tanto hype em torno de si que tentavam abafar a ruindade de sua música (lembro-me aqui de um nome: Bono Must Die - nome de banda inusitado, engraçadinho e tal, mas o som era um lixo mal produzido que tinha virado febre em bloggs e sites por aí há uns três anos atrás).

mentor disse...

É Kalunga, como diria Pierre Babin, estas ferramentas são "os novos modos de compreender". Ele chama de a "geração do audiovisual", aquela que não se apega muito à literatura, ao mesmo tempo em que caga para a utilização dos signos que acompanham a humanidade desde o mito da caverna. Hoje a mitologia é outra, um elo perdido recriado pelo inconsciente coletivo residual da indústria da cultura e suas sínteses de comunicação de consumo rápido e viciante. Ainda não sei se é uma coisa boa para a humanidade, só sei que é uma nova forma de se "expressar".

Vamos ganhar dinheiro e montar uma ferramenta de comunicação com frases prontas!

Chantinon disse...

Kalunga,
Isso é do tempo que não existia internet...
http://rapidshare.com/files/13076662/01_1_.ChantsofMaledicta-Mournfulness.zip.html

Uma menina sai da Bahia para conhecer um Norueguês, e da nisso :)

http://www.myspace.com/chantsofmaledicta

doggma disse...

Fala Kalunga! Não sei se você viu, mas a sua coletânea industrial anda sendo replicada por aí - http://igneselevanium.blogspot.com/2008/10/va-industrial-metal.html

Avisando só porque tá uncredited e grande parte do material que você compilou ainda é raro na web.

E aproveito pra solicitar o vol.2 dessa belezinha! :)

Fabio Martins - Kalunga disse...

hahahahah!!! sério isso????

porra, que massa! como a compilação foi parar lá??? de qualquer forma, vou agilizar aqui com meus CDs uma nova coletânea, até pq muita coisa boa ficou de fora. Espalha isso aí, se for o caso. Mas peça somente pra darem o crédito aqui pro Kalunga, que no resto abasteço a galera na moral!

E se quando chegar o meu DVD do Ministry ainda não tiver um torrent com qualidade num pirate bay da vida (neguim constuma reduzir o tamanho ou converter pra AVI, o que acho uma bosta), eu mesmo faço o upload (deve dar uns 10gb), pq em breve vou botar essa tal de GVT 10 mega em casa e aí, fudeu, hahahaha!

abraços!!!

Paul Ramone disse...

slsk forever !!!!
kkkkkkkkkkk